Tecnologia

Toyota anuncia recall global de 1,12 milhão de veículos devido à falha em airbags da Aisin

Isso pode ocasionar o mau funcionamento dos sensores

Toyota anuncia recall global de 1,12 milhão de veículos devido à falha em airbags da Aisin

Washington, Estados UnidosA Toyota Motor revelou na quarta-feira (20) que planeja realizar um recall de 1,12 milhão de veículos em todo o mundo devido a um problema potencial nos airbags fabricados pela empresa japonesa Aisin, que é fornecedora de peças para a montadora.

O recall foi motivado pela possibilidade de um curto-circuito em um sensor, o que pode impedir que os airbags sejam acionados conforme projetado, conforme relatos da Bloomberg e da agência Reuters.

Publicidade
blank

Os modelos afetados, fabricados entre 2020 e 2022, incluem Avalon, Camry, Corolla, RAV4, Lexus ES250, ES300H, ES350, RX350 Highlander e Sienna Hybrid.

O problema em questão pode resultar no mau funcionamento dos sensores do Sistema de Classificação de Ocupantes (OCS). Cerca de 1 milhão dos veículos afetados estão nos Estados Unidos.

Os sensores OCS são projetados para garantir a segurança quando um adulto pequeno ou uma criança está sentado no banco da frente. As concessionárias realizarão inspeções e, se necessário, substituirão os sensores. A Toyota pretende iniciar a notificação dos proprietários sobre o recall em fevereiro.

Este não é o primeiro recall da Toyota relacionado a problemas com o OCS. Em julho de 2022, a montadora emitiu um recall para 3.500 veículos RAV4 nos Estados Unidos devido a uma possível interferência entre partes internas que poderiam levar o sensor OCS a detectar incorretamente o ocupante.

A Administração Nacional de Segurança no Trânsito nas Rodovias dos Estados Unidos destaca que os airbags frontais contribuíram para salvar mais de 50.000 vidas no país ao longo de 30 anos.

A necessidade de novos sensores surgiu devido ao fato de que os airbags mais antigos eram acionados da mesma forma para todos os motoristas e passageiros, o que, em alguns casos, causava lesões e, em situações raras, até a morte de crianças, adultos pequenos e passageiros sem cinto de segurança que estavam muito próximos ao airbag no momento do acionamento.

Foto: iStockphoto

Comentários
Publicidade
blank