Governo

Membros do PLD e do governo japonês são acusados de embolsar mais de ¥100 milhões

O primeiro-ministro japonês anunciou que planeja substituir o secretário-chefe de Gabinete, que também está sob suspeita no caso

Membros do PLD e do governo japonês são acusados de embolsar mais de ¥100 milhões

Tóquio, Japão — O primeiro-ministro Fumio Kishida está programado para substituir o secretário-chefe de Gabinete, Hirokazu Matsuno, em meio a alegações de recebimento de fundos políticos não declarados, conforme relatos da mídia.

O jornal Yomiuri noticiou neste sábado (9), citando fontes ligadas ao governo e ao Partido Liberal Democrático (PLD).

Publicidade
blank

O PLD e Kishida enfrentam intensa pressão após acusações de que membros do partido, incluindo Matsuno e outras figuras proeminentes, possam ter recebido mais de 100 milhões de ienes (aproximadamente 693 mil dólares) em fundos não registrados.

Matsuno, durante uma reunião do Comitê de Orçamento da Câmara dos Representantes na sexta-feira, reconheceu a investigação em andamento, afirmando: “Gostaria de verificar cuidadosamente a minha própria organização política e tomar as medidas adequadas”, sem fornecer mais detalhes.

O secretário-chefe de Gabinete é suspeito de não ter declarado mais de 10 milhões de ienes recebidos nos últimos cinco anos da maior facção do PLD. Fontes indicam que mais de 10 legisladores da facção Abe, do PLD, também estão sob suspeita nesse caso.

Na sexta-feira (8), questionado no Parlamento sobre as acusações contra Matsuno, o primeiro-ministro Kishida foi evasivo, comprometendo-se apenas a tratar o assunto com seriedade. Ele afirmou: “Existem vários relatos (sobre Matsuno). Temos que tomar medidas adequadas para lidar com a situação real.

No entanto, existe o risco de que a minha resposta às suas questões neste momento possa afetar a investigação. Vou me abster de lhe dar uma resposta.”

Foto: Reprodução/Internet

Comentários
Publicidade
blank