Economia

Inflação no atacado do Japão diminui, mas os preços de alimentos continuam subindo

O Banco do Japão prevê recuperação econômica moderada e expectativa de queda na inflação ao consumidor nos próximos meses

Inflação no atacado do Japão diminui, mas os preços de alimentos continuam subindoUm comprador olha para os itens em uma drogaria em Tóquio, Japão. (REUTERS/Yuya Shino)

Tóquio, Japão — As últimas informações econômicas do Japão sugerem que o índice de inflação do atacado registrou uma queda pelo quinto mês consecutivo em maio, impulsionada por uma redução nos preços de commodities e combustíveis. Estes dados reforçam a hipótese de uma possível redução na pressão inflacionária sobre os consumidores.

De acordo com dados revelados na última segunda-feira (12), as evidências sugerem que os custos crescentes que levaram ao aumento da inflação ao consumidor estão começando a arrefecer. Estes números apoiam a perspectiva do Banco do Japão (BOJ) de que a inflação ao consumidor tende a diminuir nos próximos meses, paralelamente à queda nos preços globais das commodities.

Publicidade
blank

O BOJ planeja manter a sua política monetária ultra-expansiva esta semana, sustentando suas previsões de uma recuperação econômica moderada. Segundo informações fornecidas à Reuters, o BOJ espera que o forte gasto de empresas e famílias atenue o impacto da desaceleração da demanda externa.

Os dados do BOJ mostraram que o índice de preços de bens corporativos (CGPI), que calcula o preço que as empresas cobram entre si por bens e serviços, teve um aumento de 5,1% em maio em relação ao mesmo período do ano passado. Este valor é menor que a previsão média de mercado, que estimava um crescimento de 5,5%.

Essa alta surge após uma revisão do aumento de 5,9% em abril, e é muito inferior ao pico de 10,6% alcançado em dezembro do ano passado. Uma queda nos preços de eletricidade, combustível, metais não ferrosos e produtos químicos contribuiu para essa desaceleração, conforme os dados revelados.

Contudo, os preços de alimentos e bebidas aumentaram 7,9% em maio em relação ao mesmo período do ano passado, e os de equipamentos elétricos subiram 5,5%. Estes números indicam que os setores próximos aos consumidores, como o varejo e a restauração, ainda enfrentam pressões de custo elevadas.

A inflação ao consumidor no Japão atingiu 3,4% em abril, com as empresas mantendo o ritmo de aumento de preços. Isso lança algumas dúvidas sobre a previsão do BOJ de que a inflação vai se estabilizar lentamente para menos de 2% na segunda metade do ano fiscal atual, que termina em março de 2024.

Foto: REUTERS/Yuya Shino

Comentários
Publicidade
blank