Economia

Imposto sobre veículos no Japão

Os proprietários que pretendem parcelar devem ir o mais rápido possível ao escritório responsável pelo tributo.

blank
Os proprietários de automóveis no Japão receberam este mês o boleto para pagar o imposto sobre veículos (jidousha-zei / 自動車税), que vence em 31 de maio, com exceção de províncias como Aomori e Akita, onde o pagamento pode ser feito até 30 de junho.
O imposto sobre veículos leves (placa amarela) é o mais barato: ¥10.800. Mas os donos de carros comuns de passeio pagam valores que variam de ¥29.500 a ¥111.000 ienes (carros registrados antes de 30 de setembro de 2019) e de ¥25.000 a ¥110.000 (carros registrados depois de 1º de outubro de 2019), conforme a potência do motor.
Quem não puder pagar tudo de uma vez, pode optar pelo parcelamento do imposto ou adiar o pagamento único, desde que tenha motivos para isso.
Segundo a seguradora Zurich, os proprietários que pretendem parcelar o jidousha-zei devem ir o mais rápido possível ao escritório responsável pelo tributo, disponível em todas as províncias e nas grandes cidades, para fazer a negociação. O número de telefone e o endereço estão no envelope do boleto.
De modo geral, o parcelamento é concedido nos seguintes casos:
– Quando o proprietário do veículo é vítima de um desastre (terremoto, tempestade, inundação, incêndio, etc.)
– Quando familiares e parentes ficam doentes ou feridos
– Quando a renda cai ou fica zerada devido a fatores como desemprego e crises, incluindo a do coronavírus
– No caso de comerciantes, quando o negócio fecha ou tem perdas
Mesmo fazendo o parcelamento, haverá a cobrança de uma taxa de centenas de ienes pelo atraso.
CARTÃO DE CRÉDITO
Outra opção é parcelar pelo cartão de crédito, mas isso depende da operadora do cartão e da cidade ou província onde o proprietário do veículo mora.
Em Tóquio, por exemplo, é possível parcelar em até 12 vezes, mas o governo da capital cobra uma taxa a partir de ¥73 que vai aumentando conforme o valor do imposto.
O site para fazer o parcelamento em Tóquio pode ser acessado aqui.
APREENSÃO DE BENS
Quem não tiver dinheiro para pagar o imposto deve negociar o parcelemento antes do vencimento em 31 de maio para não se tornar um inadimplente.
O não pagamento do imposto sobre veículos pode resultar em apreensão de bens ou débito forçado da conta bancária, sem contar que o proprietário não conseguirá renovar a licença obrigatória (shaken) do carro.
Comentários
Publicidade
blank