Japão

5 tripulantes da guarda costeira japonesa morrem em acidente com avião da JAL

O Comitê Nacional de Segurança nos Transportes do Japão despachou seis especialistas para dar início a uma investigação

blank

Tóquio, Japão — Cinco pessoas perderam a vida em uma tragédia aérea ocorrida no Aeroporto de Haneda, em Tóquio, na tarde de terça-feira (2). A colisão envolveu um avião da Japan Airlines (JAL) e uma aeronave da Guarda Costeira, conforme relatado pela agência Reuters.

Todos os 379 passageiros e tripulantes a bordo do Airbus A350 da JAL conseguiram escapar do avião em chamas, mas a equipe de seis tripulantes da aeronave da Guarda Costeira não teve a mesma sorte. Dos cinco tripulantes, apenas o piloto sobreviveu, encontrando-se em estado grave.

Publicidade
blank

Imagens transmitidas ao vivo mostraram o avião da JAL em chamas, deslizando pela pista pouco antes das 18h. Os passageiros foram vistos evacuando a cabine cheia de fumaça e correndo pela pista após utilizar os escorregadores de emergência.

Embora todos os 367 passageiros e 12 tripulantes tenham sido evacuados, o incêndio só foi controlado após mais de seis horas. Quatorze pessoas a bordo do avião da JAL ficaram levemente feridas.

O Ministro dos Transportes do Japão confirmou a trágica morte de cinco tripulantes da aeronave da Guarda Costeira. O avião da JAL estava em processo de pouso normal quando colidiu com a aeronave de patrulha marítima Bombardier Dash-8 da Guarda Costeira.

A Guarda Costeira explicou que sua aeronave estava a caminho de Niigata, na costa oeste do Japão, para entregar suprimentos às vítimas de um forte terremoto que ocorreu em Ishikawa no Ano Novo.

A causa do acidente ainda está sob investigação. Segundo a emissora NHK, citando fontes do Ministério dos Transportes, o controlador de tráfego aéreo havia autorizado a aproximação do avião da JAL à pista de pouso, enquanto a aeronave da Guarda Costeira recebeu instruções para rodar antes da pista.

A Japan Airlines afirmou que seus tripulantes seguiram corretamente as instruções do controle de tráfego aéreo, procedendo normalmente com as operações de aproximação e pouso.

O Comitê Nacional de Segurança nos Transportes do Japão mobilizou seis especialistas em acidentes aéreos para iniciar uma investigação detalhada a partir desta quarta-feira.

A intenção é examinar minuciosamente as circunstâncias, incluindo a comunicação com o controlador de tráfego aéreo.

O Aeroporto de Haneda ficou fechado por várias horas, mas retomou as operações em três pistas. No entanto, mais de 100 voos da JAL e da ANA devem ser cancelados nesta quarta-feira (3).

O primeiro-ministro Fumio Kishida expressou pesar pela perda dos tripulantes da Guarda Costeira e destacou a importância de não prejudicar as entregas de suprimentos de ajuda para terremotos.

Foto: Reprodução/NHK

Comentários
Publicidade
blank