Japão

Mortes por acidentes de trânsito no primeiro semestre sobem no Japão

Números alarmantes revelam aumento de 2,1% em comparação ao ano anterior, com maior impacto entre ciclistas, pedestres e motociclistas

Mortes por acidentes de trânsito no primeiro semestre sobem no Japão

Tóquio, Japão — O primeiro semestre deste ano testemunhou um aumento significativo no número de mortes relacionadas a acidentes de trânsito no Japão, com um crescimento de 2,1% em comparação com o mesmo período do ano anterior.

Este marco alarmante, que representa o primeiro aumento em uma década durante os meses de janeiro a junho, foi divulgado no relatório da Agência Nacional de Polícia, conforme anunciado pela Kyodo News.

Publicidade
blank

No total, foram registradas 1.182 ocorrências fatais, destacando-se uma diversidade de vítimas: 417 pedestres, 402 ocupantes de veículos, 212 motociclistas e 143 ciclistas. Observou-se um aumento nas mortes entre motociclistas, pedestres e ocupantes de carros, refletindo um cenário preocupante.

Os dados revelaram uma tendência particularmente alarmante no caso dos ciclistas que morreram ou ficaram feridos. Apenas 12,2% das vítimas utilizavam capacetes de proteção, marcando um aumento de 2,1 pontos percentuais em relação ao mesmo período do ano anterior.

Esse percentual representa o nível mais alto desde 2007, quando dados comparáveis começaram a ser coletados pela Agência.

Junho apresentou um panorama sombrio, com a proporção de ciclistas utilizando capacetes atingindo o patamar mais alto para o mesmo mês em 15,6%. É importante recordar que desde abril, ciclistas de todas as faixas etárias são obrigados por lei a utilizar capacetes como medida de segurança.

Além disso, o relatório revelou um aumento notável no total de acidentes de trânsito durante o primeiro semestre, saltando de 3.956 para 146.943 incidentes. Entre esses acidentes, 1.149 resultaram em pelo menos uma vítima fatal.

Quando analisadas por província, Osaka e Aichi lideraram com o maior número de mortes, registrando 81 e 72 casos, respectivamente. Por outro lado, Saga teve o menor número de vítimas fatais, com três casos reportados.

Este aumento preocupante nas mortes por acidentes de trânsito coloca em destaque a necessidade de medidas rigorosas de segurança viária e conscientização pública, visando a redução desses trágicos incidentes.

Foto: Freepik

Comentários
Publicidade
blank