Japão

Fumio Kishida garante segurança na liberação de água radioativa em Fukushima

Distribuidores de produtos pesqueiros se posicionam sobre a liberação de água radioativa em Fukushima

Fumio Kishida garante segurança na liberação de água radioativa em Fukushima

Fukushima, JapãoDurante sua visita à usina nuclear Fukushima Daiichi no domingo (20), o Primeiro-Ministro Fumio Kishida expressou sua preocupação e exortou o operador Tokyo Electric Power Company Holdings Inc. (TEPCO) a colocar a segurança em primeiro lugar, antes de proceder com a planejada liberação de água radioativa tratada no mar, conforme relatado pela Kyodo News.

A crucial decisão sobre a data de início para a liberação da água está marcada para ser determinada em uma reunião ministerial na terça-feira (22). Antes disso, Kishida deve se encontrar com o líder da Federação Nacional das Associações de Cooperativas de Pesca nesta segunda-feira (21), visando discutir os pontos de vista das partes interessadas.

Publicidade
blank

Uma pesquisa recente destacou uma diminuição no número de distribuidores de produtos pesqueiros que se opõem ao plano do governo de descarregar a água tratada no oceano.

A pesquisa, conduzida pelas universidades de Tóquio e Fukushima, abrangeu 878 distribuidores de produtos pesqueiros em áreas que incluem a província de Fukushima, Tóquio, Osaka, Nagoia e Sendai, durante os meses de junho a agosto. Dentre esses, 152 respostas válidas foram recebidas.

Segundo os resultados, 28,9% dos distribuidores expressaram sua oposição à iniciativa, marcando uma acentuada queda em comparação com os números de 2019, quando 66,9% se opunham à medida. No entanto, metade dos distribuidores em Fukushima permanecem contrários ao plano, enquanto 20,8% o apoiam.

Entre as justificativas apresentadas pelos opositores do plano estão os possíveis riscos à saúde pública (15,8%) e a percepção de que o governo não compartilhou informações suficientes com o público (61,2%).

A água utilizada no processo de resfriamento do combustível derretido do reator, na usina afetada pelo tsunami em 2011, tem sido armazenada em tanques. Ainda que tenha passado por processos de tratamento para a remoção da maior parte das substâncias radioativas, ainda contém trítio.

Como parte do plano de liberação, as autoridades têm a intenção de diluir a água tratada para reduzir os níveis de trítio para aproximadamente um sétimo das diretrizes estabelecidas pela Organização Mundial da Saúde para a qualidade da água potável.

Antecipa-se que a liberação da água ocorrerá por meio de um túnel subaquático, a uma distância de 1 quilômetro da usina.

O plano japonês recebeu o aval da Agência Internacional de Energia Atômica.

Tomoaki Kobayakawa, presidente da TEPCO, explicou que a empresa criará uma equipe para supervisionar todas as áreas envolvidas nas medidas relativas à percepção pública e outras questões, com o objetivo de permitir uma tomada de decisão eficiente na alta administração.

Foto: REUTERS

Comentários
Publicidade
blank