Economia

Preço médio da gasolina atinge ¥174 no Japão; mais de 40% representam impostos

Desde janeiro do ano passado, os subsídios concedidos pelo governo totalizaram ¥6,2 trilhões

blank

Tóquio, Japão – O Ministério da Economia, Comércio e Indústria do Japão divulgou hoje que o preço médio nacional da gasolina comum no país aumentou 0,3 iene em relação à semana anterior, atingindo 174,0 ienes por litro.

É importante ressaltar que, devido aos subsídios governamentais em vigor, o preço real é 24,3 ienes mais baixo do que seria sem essa assistência.

Publicidade
blank

Desde janeiro do ano passado, os subsídios concedidos para a gasolina totalizaram impressionantes 6,2 trilhões de ienes, com 153,2 bilhões de ienes adicionados no orçamento suplementar de 2023. Esses subsídios estão programados para continuar até o final de abril do próximo ano, mas ainda não foi estabelecida uma estratégia clara para a fase pós-subsídio.

No governo, está em discussão a possível implementação da “cláusula de gatilho”, que reduziria temporariamente o imposto sobre a gasolina.

Esta cláusula, congelada desde o forte terremoto de 2011 para garantir recursos para a reconstrução, prevê a suspensão de um acréscimo de 25,1 ienes no imposto sobre a gasolina se o preço médio exceder 160 ienes por três meses consecutivos e a restauração desse acréscimo se o preço cair abaixo de 130 ienes por três meses.

Com o preço médio desta semana atingindo 174,0 ienes, os impostos compõem mais de 40% do preço total, totalizando 72,4 ienes. Se os subsídios fossem removidos agora e o acréscimo do imposto sobre a gasolina fosse reduzido, o preço da gasolina ficaria aproximadamente no mesmo nível atual.

Enquanto isso, a indústria do petróleo expressa apoio à redução de 25,1 ienes no imposto, mas se opõe à cláusula de gatilho, temendo desordem logística e aumento da carga administrativa com mudanças abruptas de preço.

O Ministério da Economia, Comércio e Indústria estima que o preço médio nacional da próxima semana será de 196,7 ienes. Para conter esse aumento, o montante do subsídio de 30 de novembro a 6 de dezembro foi fixado em 21,9 ienes, uma redução de 1,6 iene em relação à semana anterior, refletindo a queda nos preços do petróleo bruto.

Entretanto, devido ao impacto da desvalorização do iene, o montante do subsídio ultrapassa 20 ienes pela 12ª semana consecutiva desde 14 de setembro.

Foto: PhotoAC

Comentários
Publicidade
blank